Rede Mundial de Oração do Papa tem novo estatuto aprovado por Francisco

O Pontífice assinou o conjunto de normas que, desde 1º de julho deste ano, regula a Fundação confiada à Companhia de Jesus e desenvolvida pelo Apostolado da Oração, que todos os meses divulga “O vídeo do Papa” com as intenções de oração do Pontífice, graças a uma rede presente em 89 países.

O novo estatuto da Fundação Vaticana “Rede Mundial de Oração do Papa”, aprovado pelo Papa Francisco em 1º de julho deste ano e tornado público nesta segunda-feira (08/07), confirma a abertura à dimensão universal da iniciativa que nasceu da Companhia de Jesus e sempre confiada aos jesuítas, o que a coloca a serviço de cada Igreja particular no mundo. Mas insere, com relação ao estatuto de 2020, a Secretaria para a Economia como responsável pela aprovação final dos orçamentos, tanto preventivos quanto consultivos, e a nomeação do auditor único, tarefas anteriormente confiadas à Secretaria de Estado.

Uma iniciativa de 1844 para a formação de jesuítas

A Rede Mundial de Oração do Papa, lembra o estatuto, desenvolveu-se a partir da iniciativa original do Apostolado da Oração, que nasceu na França em 1844, pelo padre jesuíta François-Xavier Gautrelet, e inicialmente dirigido aos jovens jesuítas durante a formação inicial. Uma iniciativa que cresceu rapidamente como um apostolado de oração para a missão da Igreja, atingindo então cerca de 13 milhões de membros em muitos países. Mais tarde, em 1915, a Cruzada Eucarística, hoje Movimento Eucarístico Jovem, nasceu como sua seção juvenil. Ao longo dos anos, e por meio de vários estatutos, o Apostolado da Oração se tornou cada vez mais um serviço da Santa Sé próximo à oração pelas intenções do Santo Padre (conforme desejo especialmente de Leão XIII e Pio XI).

A Fundação Vaticana nasceu em 2020

Em continuidade com seus predecessores, o Papa Francisco quis que esse serviço ao Santo Padre, por meio da oração, se tornasse uma Obra Pontifícia, instituindo, com um quirógrafo de 17 de novembro de 2020, a Fundação Vaticana “Rede Mundial de Oração do Papa” (RMPP). Dessa forma, se no passado o Apostolado da Oração era percebido como uma missão da Santa Sé confiada à Companhia de Jesus, desde então, como Rede Mundial de Oração do Papa, continuou a ser confiado aos jesuítas, mas se abriu a uma dimensão universal, colocando-se a serviço de cada Igreja particular do mundo. A RMPP coordena e anima esse movimento espiritual em muitos países, apoiando a missão evangelizadora do Papa por meio da oração por uma missão de compaixão pelo mundo.

Uma Rede presente em 89 países, com 22 milhões de católicos

Como enfatiza o novo estatuto, a Fundação tem uma tarefa de coordenação e animação em nível mundial e até hoje está presente em 89 países, envolvida em uma rede de mais de 22 milhões de católicos. Países e dioceses que assumem a oração como forma de apostolado e, em particular, acolhem as intenções mensais de oração propostas pelo Santo Padre à Igreja, como tema ou conteúdo da oração pessoal ou em grupo, colaborando assim com a missão da Igreja de se colocar a serviço dos desafios da humanidade. Novas ferramentas de oração lançadas pela RMPP são “Click To Pray”, a plataforma oficial de oração do Papa na internet, e “O Vídeo do Papa”, que transmite as intenções de oração do Pontífice todos os meses.

O caminho espiritual de “O Caminho do Coração”

A Rede Mundial, lembra o estatuto, “está aberta a todos os católicos que desejam despertar, renovar e viver o caráter missionário que procede de seu batismo”. Seu fundamento é a espiritualidade do Coração de Jesus, explicitada no documento de recriação do Apostolado da Oração intitulado “Um caminho com Jesus na disponibilidade apostólica”, de dezembro de 2014. Por isso, propõe aos católicos um caminho espiritual chamado “O Caminho do Coração”, para identificar sentimentos e ações com o coração de Cristo. É um caminho que integra duas dimensões: a compaixão pelo mundo e pelos seres humanos e a comunhão com a missão do Filho.

Compaixão pelo homem, para combater a indiferença

Na primeira, as pessoas que acolhem e rezam pelas intenções do Papa, que expressam desafios à humanidade e à missão da Igreja, segundo o estatuto, “abrem seu olhar e seu coração às necessidades do mundo, fazendo suas as alegrias e esperanças, as dores e os sofrimentos da humanidade e da Igreja, e são inspiradas a realizar obras de misericórdia espiritual e corporal”. Assim, vivem um caminho espiritual que lhes permite romper com a “globalização da indiferença” e abrir-se à compaixão pelo mundo.

Na segunda dimensão, por meio do caminho espiritual animado pela RMPP, “a vocação missionária da pessoa batizada é despertada, permitindo-lhe colaborar em sua vida diária com a missão que o Pai confiou a seu Filho”.

Fundação governada pelo Papa por meio da Secretaria de Estado

Na seção dedicada aos órgãos de governo da Rede Mundial, o estatuto confirma que a Fundação está diretamente sujeita à autoridade do Papa, “que a governa por meio da Secretaria de Estado, levando em consideração a atribuição histórica desde o início do Apostolado da Oração à Companhia de Jesus”. Seu Conselho de Administração é presidido pelo diretor internacional “que, na medida do possível, será um membro da Companhia de Jesus, proposto pelo Superior Geral dos Jesuítas da mesma Companhia de Jesus” e nomeado pelo Papa por cinco anos renováveis. O Conselho também é composto por um representante da Secretaria de Estado e três membros propostos pelo Superior Geral da Companhia de Jesus, todos nomeados pelo Secretário de Estado para um mandato de cinco anos que podem ser confirmados no cargo.

(inf: Vatican News)