Fundação AIS: Amor sem limites

Fundação AIS: mais um ano de solidariedade para com a Igreja perseguida

A Fundação AIS apresentou, a nível internacional, as suas contas relativas ao ano de 2023 que reflectem, uma vez mais, a enorme generosidade dos benfeitores da instituição em todo o mundo. Para Catarina Martins de Bettencourt, directora do secretariado nacional da AIS, “nunca é demais agradecer” a generosidade dos que ajudam a Igreja “onde os Cristãos mais sofrem, onde são perseguidos e onde passam por mais dificuldades”.

Durante o ano de 2023, cujas contas foram agora conhecidas, a Fundação AIS manteve o nível de receitas dos anos anteriores, com 143,7 milhões de euros de donativos e legados recebidos. Este valor, juntamente com 8 milhões de euros de reservas do ano anterior, permitiu à Fundação financiar actividades no valor de 144,5 milhões de euros. A generosidade de quase 360 mil benfeitores nos 23 países – um dos quais é Portugal – onde a Fundação AIS tem secretariados nacionais, entre outros, continua a permitir que a instituição funcione sem qualquer apoio financeiro de governos ou organismos eclesiais. O país que mais ajuda recebeu da Fundação AIS em 2023 foi a Ucrânia, com 7,5 milhões de euros, numa altura em que a Igreja Católica continua empenhada em curar as feridas espirituais dos traumatizados pela guerra em curso. A Síria e o Líbano são os países que se seguem, sendo que, a nível regional, África foi o continente mais apoiado ao longo do ano passado. Mas a ajuda que a Fundação AIS providencia pode ser lida de muitas formas. Uma delas é no apoio concreto aos sacerdotes, seminaristas e religiosas. Ao longo do ano passado, por exemplo, um em cada 10 sacerdotes no mundo recebeu apoio da Fundação AIS, tal como quase 11 mil seminaristas, sendo que a maior parte destes futuros padres estão em África, de onde provém actualmente o maior número de vocações. Mas o apoio estende-se também à sobrevivência de religiosas, à construção e reabilitação de capelas e igrejas, aos meios de transporte para que a Igreja possa estar sempre junto dos seus fiéis e até em ajuda de emergência para as populações vítimas de calamidades naturais ou de conflitos armados.

Enorme generosidade dos Portugueses

Em Portugal, a solidariedade dos benfeitores e amigos da Fundação AIS atingiu, no ano passado, o valor de 3 milhões e 691 mil euros em donativos. Para a directora do secretariado nacional da instituição, estes valores mostram um espírito de entreajuda notável, tanto mais que muitos dos benfeitores são, normalmente, pessoas humildes e que vivem também com dificuldades. “Nunca é demais sublinhar e agradecer esta disponibilidade total de servir a Igreja onde os Cristãos mais sofrem, onde são perseguidos e onde passam por mais dificuldades”, afirma Catarina Martins de Bettencourt. “Muitos dos nossos benfeitores são pessoas humildes, eles próprios vivem com dificuldades, mas, mesmo assim, nunca deixaram de alimentar esta cadeia de solidariedade que dá pelo nome de Ajuda à Igreja que Sofre e que todos os dias procura secar as lágrimas de Deus na terra”, acrescenta a responsável. “Graças a eles, e graças a todos os benfeitores da Fundação AIS em todo o mundo, tem sido possível responder aos gritos de ajuda, por vezes silenciosos, das comunidades cristãs nas zonas do globo onde a fé é posta à prova por vezes de forma absolutamente dramática. Com a graça de Deus e com o amor e a generosidade dos nossos queridos benfeitores e amigos iremos continuar com a nossa missão de ajuda à Igreja em necessidade em todo o mundo”, concluiu Catarina Bettencourt.

Paulo Aido