Amarante: cruz Peregrina JMJ envolveu jovens e comunidades

As paróquias de Amarante (S. Gonçalo, S. Veríssimo, Madalena e Cepelos) acolheram, ao longo de cinco dias, a réplica da Cruz Peregrina da Jornada Mundial da Juventude.

“E que alegria esta de poder acolher, abraçar, sentir e recordar tudo quanto experienciamos no tempo de preparação para a Jornada, assim como tudo quanto vivemos, todos juntos, no grande momento de encontro na JMJ em Lisboa”, anunciou-se na celebração de acolhimento da réplica da Cruz Peregrina na Igreja de S. Gonçalo, em Amarante.

Com a presença da Cruz Peregrina da JMJ na Igreja de S. Gonçalo, que ao longo do mês de junho percorrerá as paróquias da Vigararia de Amarante, a comunidade uniu-se com a dinamização de alguns momentos celebrativos, revisitando o tempo, vivendo o momento, interiorizando a missão da JMJ.

“Ao receber a Cruz Peregrina da JMJ voltamos a viver com esta alegria tão bela e contagiante o tempo da fraternidade, encontro de Cristo Vivo – sim, Cristo Vive e Vive em nós”, expressaram no momento de acolhimento, recordando, com entusiasmo, o abraço espontâneo de todos os que, participando na JMJ, se cruzam e em qualquer lado se mostram familiares.

Com a presença da réplica da Cruz Peregrina em S. Gonçalo, ao longo dos vários dias, realizou-se uma celebração de acolhimento, com a partilha de testemunhos de famílias acolhimento e jovens que da comunidade participaram na JMJ de Lisboa. Na sexta-feira, com a participação e encenação do Agrupamento de Escuteiros 448 de Amarante, recriou-se a Via Sacra da JMJ, em Lisboa. No sábado, com a participação do Grupo de Jovens “Os Gonçalinhos”, proporcionou-se um momento de interiorização com a Oração Taizé. No domingo, dia dedicado à comunidade na dinamização de um momento de Ação de Graças nas Eucaristias, com realce para a Festa do Envio do 10 ano da catequese. O derradeiro dia culminou com a entrega da Cruz, transportada por um clássico carro dos Bombeiros Voluntários de Amarante, aos jovens da paróquia vizinha de Fregim.

“A presença da réplica da Cruz Peregrina entre nós é um sinal profundo de fé e comunhão. Durante a Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, a Cruz Peregrina esteve no centro das celebrações, convocando jovens de todo o mundo a refletirem sobre suas vidas, a sua presença e intervenção na Igreja e sociedade”, afiançaram os jovens na partilha de ação de graças, lembrando as palavras do Papa Francisco aos jovens como esperança de um mundo melhor, chamando-os a serem “protagonistas da transformação social”.

“A Cruz Peregrina, como na JMJ, foi ponto de encontro e união. Em torno dela, partilhamos experiências, rezamos juntos e fortalecemos nossos laços de fé. O espírito de Lisboa, marcado pela alegria, solidariedade e compromisso, ainda ressoa em nossos corações. Foi um tempo de descoberta, de novas amizades e de renovação espiritual”, ressalvaram.

Ao longo dos dias em que a réplica da Cruz Peregrina permaneceu na Igreja de S. Gonçalo, os jovens e comunidade foram convidados a manifestar um gesto e deixar algo junto da cruz que os relacionasse com o espírito da JMJ.

“A jornada que começamos em Lisboa continua. Devemos manter vivo o espírito da JMJ, comprometendo-nos a ser testemunhas da fé e defensores da dignidade humana. Com a Cruz Peregrina como guia, somos chamados a ser instrumentos de paz e esperança, construindo um mundo mais humano e compassivo”, acentuaram, reforçando que “em cada coração tocado pela Cruz Peregrina, inspirados pelas palavras do Papa Francisco, avançamos com esperança e determinação, prontos para transformar o mundo à luz do Evangelho”.

(inf: paróquias de Amarante, S. Gonçalo, S. Veríssimo, Madalena e Cepelos)