Sagrado Coração de Jesus: bispo do Porto dedicou Capela da Casa da Beata Maria Droste

Várias iniciativas assinalaram os 125 anos da morte da Beata Maria Droste, Irmã Maria do Divino Coração na vida religiosa. Em 2023 foi a patrona da caminhada da diocese do Porto até à Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

No passado dia 8 de junho, o bispo do Porto, D. Manuel Linda, presidiu à celebração da Dedicação da Capela da Casa da Beata Maria Droste ao Sagrado Coração de Jesus. Acontecimento ocorrido nos 125 anos da morte da Ir. Maria do Divino Coração e dos 125 anos da Consagração do Género Humano ao Sagrado Coração de Jesus. A Beata Maria Droste em 2023 foi a patrona da caminhada da diocese do Porto até à Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

Esta Dedicação da Capela vem completar o desejo expresso pela Ir. Maria, antes da sua morte “erigir aqui um lugar de reparação (…)  um lugar de graças (…) para todos os habitantes desta casa, os que nela vivem, os que nela viverão, e até as pessoas das suas relações”, e “um lugar de reparação dos sacrilégios para obter graças para o clero” que fosse Consagrado ao Sagrado Coração de Jesus.

Apesar de já existir a Igreja da Promessa, Dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, em Ermesinde, a Dedicação desta Capela será um reforço à missão que a Ir. Maria iniciou nesta casa, ou seja, a difusão do amor misericordioso do Sagrado Coração de Jesus que acolhe, perdoa e faz erguer, todos aqueles que a Ele recorrem.

Como preparação deste grande acontecimento realizaram-se várias celebrações para dar a conhecer, divulgar e rezar a espiritualidade e o carisma da Ir. Maria.

O primeiro ato preparatório foi um retiro presencial, subordinado ao tema – “A vocação e discernimento da Irmã Maria do Divino Coração”, orientado pelo Padre Bruno, Vicentino da comunidade do Amial, que teve lugar no dia 25 de maio, na Capela da Casa da Beata Maria do Divino Coração. Neste retiro/formação, o Padre Bruno apresentou a vivência da fé na Irmã Maria, a importância do testemunho da família a nível do amor, da união, de entrega e da fidelidade à igreja, ressaltando o nobre exemplo do pai, o Conde Clemente, que doou um terço da sua fortuna para obras de caridade, socorrendo-se para isso dos testemunhos dados pela própria Irmã Maria ao seu confessor D. Teotónio. Após os momentos de reflexão, o Padre Bruno rematou a sua inspiradora intervenção com uma oração conclusiva onde relembrou a todos a luz que Deus faz brilhar em cada um, cujo clarão do Sol de Vida desfaz as trevas e faz reinar a paz nos corações.

O segundo momento preparatório concretizou-se através de uma novena, para ser rezada desde 30 de maio até 7 de junho, traduzida em espanhol, italiano e inglês foi enviada as diferentes casas das irmãs e dos leigos, e ainda publicitada nas redes sociais, criando assim, uma corrente oracional que, a uma só voz (isoladamente ou em grupo), se uniram em oração em toda a Região da Europa Sul.

Nos dias 5,6 e 7 de junho de 2024, teve lugar o Tríduo, realizado na Capela da Casa da Ir. Maria, em Paranhos e transmitidos, em direto, na página da pastoral vocacional do Bom Pastor e na rede social YouTube.

No primeiro dia do tríduo, 5 de junho, realizou-se um concerto orante subordinado ao tema – “A Eucaristia e o Sagrado Coração de Jesus na vida da Irmã Maria”, presidido pelo Sr. Padre Martins, Vicentino e pároco da Paróquia de Paranhos, animado pelo Canto Veríssimo. Foi uma noite marcada pela oração/adoração, a partir dos pensamentos da Ir. Maria, reflexão e música alusiva ao tema do Sagrado Coração de Jesus e da Eucaristia.

No segundo dia, 6 de junho  realizou-se uma mesa redonda subordinada ao tema – “A missão da Irmã Maria na Diocese do Porto, numa perspetiva feminina”, com um painel oratório composto unicamente por mulheres, com diferentes formações e aptidões profissionais, e que foi  muito bem moderado por Ana Martins.

A primeira oradora da noite foi a Irmã Filomena Reis, apresentou o subtema intitulado: “Carisma e Espiritualidade das Irmãs de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor e na Missão da Irmã Maria”. Na sua dissertação expôs de forma muito abrangente a missão desenvolvida pela Irmã Maria na Diocese do Porto, a partir de três pontos:  A Ir. Maria do Divino Coração como Superiora da Comunidade do Porto, Maria Droste como Educadora e a Ir. Maria do Divino Coração e o Apostolado da Escuta.

A segunda intervenção da noite orientada pela Irmã Fátima Pires, Coordenadora da Região da Europa Sul, apresentou o subtema: “O estilo de liderança da irmã Maria”, analisando as características que compunham a forte personalidade da Irmã Maria, correlacionando-as com os diferentes aspetos da sua vida, destacou-se os seguintes traços psicológicos: curiosidade, teimosia, generosidade, responsabilidade, criatividade, disponibilidade, coragem, aliada à uma profunda fé em Deus.

A terceira oradora da noite foi a Sílvia Rocha, leiga, e co-autora do livro “O Caminho de Maria(zinha)” apresentou o subtema: “A dimensão Mariana na vocação e consagração da Irmã Maria.” Tendo em conta que as datas mais memoráveis da vida da Ir. Maria aconteceram nas festas de Nossa Senhora, a oradora faz uma abordagem cronológica, de todas as datas recolhidas em diferentes documentos escritos, relacionadas com os importantes momentos a respeito da vocação, discernimento, missão e apostolado da Beata Maria Droste.

A quarta e última intervenção neste painel Susana Catarina apresentou o subtema: “As diferentes dimensões da sensibilidade artística da Irmã Maria.” Na sua dissertação inovadora procurou mostrar que a sensibilidade artística da Irmã Maria se revelava em várias dimensões que transcendiam a mera apreciação estética e se manifestavam profundamente na sua vida espiritual e na sua vocação religiosa. Sensibilidades essas que a oradora identificou 4, sendo elas: a emocional, a artística e espiritual, a moral e ética e por último a física. Demonstrou ainda que cada faceta da sua sensibilidade contribuiu para a sua visão holística do mundo e da sua missão religiosa, deixando um legado que continua a inspirar pela sua profunda capacidade de ver e criar beleza, nas dimensões espirituais e humanas da vida.  A Susana Catarina abrilhantou a noite com um lindo reportório musical protagonizado por um quarteto vocal e um organista.

No terceiro dia do tríduo preparatório, na noite do dia 7 de Junho de 2024, a casa da Irmã Maria foi palco de uma conferência subordinada ao tema – “A devoção ao Sagrado Coração de Jesus nos dias de hoje”, realizada por Nuno Henriques, leigo, professor da disciplina de educação moral, religiosa e católica no Externato Maria Droste, que veio substituir o anunciado Padre Nelson Faria que, por motivo de doença, não pôde estar presente. Apresentou o tema a partir de uma dinâmica ativa/participativa e conclui afirmando que o Sagrado Coração de Jesus bombeia sangue para os nossos olhos para que possamos bem olhar, para a nossa boca para que possamos bendizer e para as nossas mãos para que as possamos estender; que o Sagrado Coração de Jesus faz olhar sempre o outro, sem estar preso aos horários do nosso próprio eu; que o Coração trespassado é uma porta pela qual devemos entrar… ao contemplar Jesus de mãos abertas que nos diz: “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida.”, e nos aponta para a misericórdia.

No dia 8 de junho de 2024 teve lugar a Dedicação da Capela ao Sagrado Coração de Jesus, com a Consagração do Altar e da Capela e ainda a entronização da Imagem do Sagrado Coração de Jesus. Esta cerimónia foi presidida pelo Sr. Bispo Dom Manuel Linda com a presença de vários sacerdotes, diácono e os seminaristas Vicentinos.   O Dom Manuel Linda recordou a memória da Beata Maria do Divino Coração, dizendo que era um momento de grande júbilo estar a presidir àquela celebração, daquela por quem ele e outros têm uma devoção especial e que, por isso, os jovens até a elegeram como a sua patrona na caminhada para a Jornada Mundial de Juventude de Lisboa 2023. Alertando para a importância da Consagração daquela igreja, como espaço de oração e celebração da fé, aberto a todos aqueles que queiram participar e celebrar a sua fé.

(inf: Irmãs de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor)