Bispo do Porto pediu condições indispensáveis de vida para as forças de segurança

Foto: Miguel Mesquita

Na Eucaristia com Bênção de motociclos e capacetes das forças de segurança e de socorro, D. Manuel Linda lembrou que o contributo das forças de segurança é insubstituível.

Decorreu na sexta-feira dia 3 de maio na Catedral do Porto a Eucaristia com Bênção de motociclos e capacetes das forças de segurança e de socorro. Estiveram presentes a Polícia de Segurança Pública, a Guarda Nacional Republicana, Polícias Municipais e também elementos da Instituto Nacional da Emergência Médica e da Cruz Vermelha Portuguesa.

Na sua homilia, D. Manuel Linda sublinhou o valor da liberdade e a sua importância para aqueles que usam as motos. Não deixou de alertar para o perigo das “ideias falsas de liberdade”. “Não falta quem pense que a liberdade é dar asas plenamente ao que apetece num determinado momento, ainda que isso seja algo de aberrante ou vá contra os outros”, assinalou.

A este propósito lembrou que o “contributo” das forças de segurança é “insubstituível”. “No exercício de um policiamento de proximidade, numa relação simpática com os cidadãos, na aplicação da lei, mas sempre com sentido humanizador, vocês constituem a defesa e a garantia dessa liberdade”, declarou D. Manuel Linda dirigindo-se aos presentes.

O bispo do Porto pediu condições indispensáveis de vida para as forças de segurança: “possibilidade de estabilidade para formarem família e criarem os filhos nos âmbitos a que estão mais ligados por afetividade ou história; condições de tempo para estarem com os vossos; reconhecimento social do vosso contributo para o bem comum; condições de trabalho e instalações condignas, etc”.

“Irmãs e irmãos, também eu lhes desejo que a liberdade que vivem e promovem na nossa sociedade arranque desta base de quem se sente interligado com Deus e com os irmãos. E que Ele vos abençoe, bem como a quantos lhes são queridos”, disse D. Manuel Linda no final da sua homilia.

RS