“Não sejamos negacionistas”, D. Manuel Linda declara que a Igreja não está “em fim de linha”

Foto: Miguel Mesquita

Na Missa Crismal, o bispo do Porto sublinhou a sua esperança num “Seminário novo” com “novos métodos formativos” assinalando o início oficial das “obras de restauro e ampliação” do Seminário Diocesano de Nossa Senhora da Conceição. Destacou a importância da espiritualidade e da oração para uma conversão pastoral e sinodal da Igreja.

Na homilia da Missa Crismal, em dia de Quinta-Feira Santa, 28 de março, numa Catedral repleta de sacerdotes e diáconos, D. Manuel Linda afirmou que “urge afastar aquele pessimismo que nos paralisa, como se estivéssemos em fim de linha no campo da fé, da espiritualidade e da Igreja”. “Não estamos”, disse D. Manuel Linda e declarou: “Não sejamos negacionistas da evidência”.

O bispo do Porto sublinhou a sua esperança num “Seminário novo” com “novos métodos formativos” assinalando o início oficial das “obras de restauro e ampliação” do Seminário Diocesano de Nossa Senhora da Conceição. Nesta data foi descerrado um memorial de início de obras no Seminário.

“É na linha desta esperança cristã que hoje projetamos um Seminário novo: novo no edifício e nos métodos formativos. E é na linha da esperança que nos dispomos a colaborar na missão evangelizadora para que o Reino se dilate”, disse D. Manuel Linda.

Esta celebração contou com a presença dos bispos auxiliares do Porto, D. Vitorino Soares, D. Joaquim Dionísio e D. Roberto Mariz, do bispo emérito de Setúbal, D. Gilberto Canavarro dos Reis, do bispo auxiliar emérito do Porto, D. Pio Alves e do bispo emérito das Forças Armadas e de Segurança, D. Januário Torgal Ferreira.

Na sua reflexão, o bispo do Porto assinalou a importância da espiritualidade e da oração para uma conversão pastoral e sinodal da Igreja apontando como algo que marca os “novos movimentos juvenis”.

“É curioso que os novos movimentos juvenis, algo em quem depositamos muita esperança, se distinguem todos pela espiritualidade da oração, quando não mesmo pela adoração eucarística”, salientou D. Manuel Linda.

Apelou aos sacerdotes para terem formação contínua, mas também para terem tempo para o descanso e para o encontro fraterno.

Como habitualmente, o bispo do Porto recordou os sacerdotes e diáconos falecidos durante o último ano e aqueles que neste novo ano celebram bodas sacerdotais de 25, 50, 60 e até 70 anos de serviço à Igreja:

 

Sacerdotes falecidos:

Pe. António Emílio Ramalho Vieira da Silva (29/04/2023)

Pe. Reinaldo Fernandes Moreira (04/05/2023)

Pe. António Luís Teixeira Mendes (25/05/2023)

Pe. Pedro Gradim de Sá Mourão (15/07/2023)

Pe. José Machado Oliveira (27/07/2023)

Pe. Armando de Sousa Ribeiro (21/08/2023)

Mons. Manuel Clemente Teixeira (18/09/2023)

Mons. Domingos Jorge Duarte do Aido (25/09/2023)

Pe. Celestino de Oliveira Félix (07/10/2023)

Pe. Rodolfo Orlando Silva Ferreira (08/12/2023)

Pe. Manuel de Oliveira de Sousa Vales (30/12/2023)

Pe. António Ângelo Alves de Sousa (23/01/2024)

Pe. Carlos Alberto da Rocha Moreira (11/02/2024).

 

Diáconos falecidos:

Diác. Adalberto David de Oliveira Vieira (22/05/2023)

Diác. Jorge Manuel da Silva Moreira (14/08/2023)

Diác. Álvaro Francisco Loureiro Pinto de Sequeira (27/09/2023)

Diác. Álvaro Pinto (05/03/2024)

 

Bodas de prata sacerdotais (25º aniversário da ordenação, em 1999):

Pe. Abílio de Sousa Rodrigues;

Pe. Adão Alberto Mota Cunha;

Pe. André Daniel Leite Ferreira;

Pe. António Fernando Pereira Pinto;

Pe. Artur Manuel Monteiro Pinto;

Pe. Carlos César Gonçalves Mendes (Vicentino);

Pe. Emanuel António Couto da Silva Bernardo;

Pe. Hélder Saúl Ribeiro Barbosa;

Pe. Hermínio Bernardo Rodrigues Pinto;

Pe. Joaquim Jorge Coutinho Soares;

Pe. José Carlos Teixeira Ribeiro;

Pe. Mário Abel da Costa Duarte;

Pe. Mário Henrique Sousa de Melo;

Pe. Pedro Manuel de Sousa Oliveira;

Pe. Ricardo António Dias da Silva.

 

Bodas de ouro sacerdotais (50º aniversário de ordenação, 1974):

Pe. Bernardino de Queirós Alves;

Cón. Domingos da Costa Monteiro de Oliveira:

Pe. Germano Ferreira Leça.

 

Sexagéximo ano de ordenação (1964):

Cón. Amadeu Ferreira da Silva;

Cón. Domingos de Lima Milheiro Leite;

Pe. José de Almeida Campos;

Pe. José Maria Gomes Pereira (Vicentino);

Pe. Manuel Dias da Silva; Pe. Marílio da Costa Faria.

 

Entretanto, neste ano de 2024, o Pe. Nuno Álvares Augusto Valente Borges de Pinho celebra o seu septuagésimo aniversário de ordenação (1954).

O bispo do Porto não se esqueceu de recordar as ordenações de diáconos em ordem ao sacerdócio, de diáconos permanentes e de sacerdotes no último ano de 2023:

 

Diáconos em ordem ao sacerdócio (08/12/2023):

Pedro Joaquim Gonçalves Teixeira;

Adrián Javier Arteaga Paucar;

David João Silva Azevedo;

David Samuel Brás de Castro Laranjeira.

 

Diáconos Permanentes (08/12/2023):

António Agostinho da Costa Teixeira;

Domingos Manuel Neves Moutinho;

Sérgio Fernando da Silva Pinto;

Carlos Avelino da Silva Lima.

 

Sacerdotes ordenados a 9 de julho de 2023:

Pe. Bruno Miguel Coelho Aguiar;

Pe. Filipe Ramos dos Santos;

Pe. João Miguel Moreira Azinheira;

Pe. Pedro Manuel Lopes da Cunha.

 

Na Missa Crismal, após a homilia, os concelebrantes renovaram as promessas sacerdotais, o bispo abençoou o óleo dos catecúmenos e enfermos e consagrou o do crisma. Óleos que serão usados tanto na administração dos sacramentos do Batismo e da Confirmação como nas ordenações ou na consagração de uma igreja.

RS