Dia do Doente no Centro Social Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto

Hoje dia 23 de fevereiro de 2024, vivemos e celebramos o dia do doente na ERPI, do Centro Social Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto.

Foi dia de festa na NOSSA CASA.

Logo pela manhã, os nossos doentinhos acamados receberam a visita do Sr. Pe. António Augusto que os abençoou e lhes administrou o Sacramento da Santa Unção.

Alguns na sua fragilidade, receberam o Sacramento sem sinais exteriores, na sua paz e num silêncio que nos transmitiu serenidade, outros manifestaram sinais de fé e confiança num Deus que está presente e conforta.

Trocaram-se olhares, sorrisos e muitos gestos de carinho.

Rezamos com eles e pedimos a Jesus que os confortasse na sua dor e no seu sofrimento.

Depois de visitarmos os nossos doentinhos nos quartos, juntamo-nos aos restantes utentes, que ansiosamente esperavam por aquele momento em que também receberiam o Sacramento da Santa Unção e aí celebramos a Eucaristia. Demos graças pela vida, pela fé, pela bênção de podermos agradecer o que somos e o que temos.

Nesta celebração estiveram também presentes alguns dos nossos utentes do Centro de Dia.

Foram aproximadamente 60, os utentes que receberam este Sacramento, que é além de tudo um encontro com Deus e força espiritual no sofrimento.

De tarde, quisemos continuar a celebrar este dia e juntamo-nos novamente para refletir e conversar.

Convidamos utentes do Lar dos Pescadores de Matosinhos, com o objetivo de trocarmos vivências que demonstraram que não estamos sozinhos.

Tivemos bem presente a mensagem do Santo Padre, que de forma muito bela nos diz:

“Não é conveniente que o Homem esteja só.” – Cuidar do doente, cuidando das relações.

Conseguimos relacionar estas frases com a importância que têm os Lares e com o objetivo de demostrarmos a todos, que os Lares que acolhem idosos são Equipamentos fundamentais para que os nossos idosos vivam com dignidade, sejam tratados com respeito, sejam cuidados como merecem e para que vivam felizes.

Neste pequeno momento que vivemos e nos testemunhos que foram partilhados, sentimos que todos somos chamados para vivermos em comunhão uns com os outros e que se quisermos, conseguimos ser felizes e fazer com que muitos outros sejam felizes também.

Agradecemos aos colaboradores que diariamente nos ajudam a cuidar dos nossos utentes, pois cuidar dos idosos e doentes exige dedicação, paciência e essencialmente muito AMOR.

Nas palavras de gratidão e nos testemunhos, comprovamos que os Lares, contrariamente ao que muitas vezes se diz, conseguem transformar vidas, conseguem combater o abandono, a solidão e tornar a velhice numa fase da vida bem mais animada e feliz.

Na NOSSA CASA, os idosos e doentes, não precisam de ter vergonha de reconhecer que precisamos dum carinho e não sentem que são peso para os outros. Na NOSSA CASA, a dignidade humana e a liberdade são respeitadas e os utentes sentem-se amados.

Depois desta partilha cantamos, dançamos e vimos estampada em todos os rostos a alegria e a esperança.

Como não podia deixar de ser, este dia de festa terminou à volta da mesa com um lanche especial.

Cumprindo o combinado no momento de partilha e reflexão, no final deste dia, pensando nos momentos vividos, agradecemos e entregamos à Nossa Senhora de Lourdes, os colaboradores, amigos, familiares e principalmente todos os nossos idosos e doentes.

Que Ela nos conceda o sossego, a paz e nos abençoe com o seu Amor.

Nossa Senhora de Lourdes, rogai por nós.

Ámen.

(inf: Fátima Machado, Centro Social Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto)