“Vinde, subamos ao Monte do Senhor”: diáconos permanentes em retiro espiritual

Nos dias 16 e 17 de fevereiro, um silêncio sereno e profundo permeou os corredores do Convento dos Carmelitas Descalços em Avessadas, Marco de Canaveses. Foi o local escolhido para um encontro significativo, onde os Diáconos Permanentes da Diocese do Porto nos reunimos para o nosso Retiro de Quaresma. Sob a orientação do Reverendo Padre Frei André de Santa Maria, mergulhamos nas águas profundas da reflexão espiritual, guiados pelo tema inspirador de Isaías 2, 3: “Vinde subamos ao Monte do Senhor”.

Este encontro anual não é apenas uma reunião ordinária; é um momento de renovação, de reconexão com a essência do chamamento que nos levou ao serviço diaconal. Para todos nós, representa uma oportunidade de refletir sobre a nossa missão, reacender o fogo interior que nos impulsiona a servir as nossas Comunidades e a fortalecer os laços fraternos que nos unem como irmãos no serviço da Caridade, do Evangelho e da Liturgia.

Sob a sábia orientação do Padre Frei André de Santa Maria, nós os diáconos e as esposas imergimos nas profundezas da Palavra de Deus. Isaías 2, 3 serviu como uma bússola espiritual, convidando-nos a ascender ao Monte do Senhor, um convite para uma jornada interior rumo à comunhão com o Divino. Esse convite não é apenas um chamamento para uma jornada física, mas uma busca espiritual, um mergulho na presença de Deus, onde a alma encontra descanso e renovação.

O Monte do Senhor é um lugar de encontro, um espaço sagrado onde a presença divina se revela de maneira especial. É um convite para transcender as preocupações mundanas e elevar-se às alturas espirituais, onde a voz de Deus ecoa suavemente, guiando e fortalecendo aqueles que se dispõem a ouvir.

Estamos chamados a este lugar da presença de Deus-Jesus. Chamados a esse lugar profundo, o lugar onde Deus habita e temos de descer ao mais fundo da nossa alma. Necessitamos desarmar tantos empecilhos, amarras, hábitos que nos puxam para fora impedindo-nos de subir ao Monte do Senhor.

Durante o retiro, fomos convidados a refletir sobre as nossas próprias jornadas espirituais. Cada um trouxe consigo as suas lutas, as suas dúvidas, mas também as suas alegrias e as suas experiências de fé. No convívio fraternal e à atmosfera de recolhimento, compartilhamos as nossas histórias, encontrando apoio e encorajamento uns nos outros.

O silêncio do convento foi preenchido não apenas com palavras, mas com uma presença tangível do divino. Nas orações compartilhadas, nas reflexões profundas e nos momentos de meditação, Sacramento da Reconciliação, Adoração ao Santíssimo Sacramento, nós os diáconos e esposas sentimo-nos envolvidos pela graça divina, renovando os nossos compromissos e fortalecendo a nossa determinação de servir o Senhor e a sua Igreja nas Comunidades onde estamos nomeados pelo Bispo Diocesano.

Este Retiro de Quaresma dos Diáconos Permanentes da Diocese do Porto não foi apenas um evento isolado; foi uma etapa na nossa jornada espiritual contínua. Ao retornarmos às nossas paróquias e comunidades, levamos connosco não apenas as lembranças do retiro, mas também uma renovada energia espiritual, prontos para enfrentar os desafios que nos aguardam com renovada fé e determinação.

Que o eco das reflexões compartilhadas no retiro continue a ressoar nos nossos corações, guiando-nos e fortalecendo-nos na nossa missão de servir o Senhor com humildade e amor. Que possamos sempre lembrar-nos do convite divino para ascender ao Monte do Senhor, encontrando nele a força e a inspiração necessárias para seguir adiante no nosso caminho de serviço e testemunho do Evangelho.

(inf: diácono Rui Campos)