Padre Sérgio Leal concluiu doutoramento em Roma

O sacerdote defendeu a tese “Pastores para uma Igreja em saída” na Pontifícia Universidade Lateranense. Aí se licenciou em 2018 aprofundando o tema da sinodalidade como estilo pastoral. Tem colaborado com muitas dioceses de Portugal e também no Brasil. Na VP assina a página de Liturgia e tem vindo a refletir sobre o caminho sinodal da Igreja. Na diocese do Porto é pároco de Anta e Guetim no concelho de Espinho.

Foi com votação máxima que o padre Sérgio Leal concluiu o seu doutoramento em Teologia Pastoral, em Roma na passada quarta-feira 14 de fevereiro. “Pastores para uma Igreja em saída” é o titulo de uma tese que centraliza o seu objeto de estudo no exercício do ministério pastoral numa Igreja Sinodal. “O Ministério Pastoral numa Igreja Sinodal ao Serviço da Evangelização e da Missão para uma Permanente Conversão Pastoral e Missionária em Portugal” é o subtítulo da tese.

O sacerdote defendeu a sua tese na Pontifícia Universidade Lateranense, onde se licenciou em 2018 sobre a sinodalidade como estilo pastoral, tema do qual é um dos principais especialistas mundiais de língua portuguesa. Tem colaborado com muitas dioceses de Portugal e também no Brasil. Na VP assina a página de Liturgia e tem vindo a refletir sobre o caminho sinodal da Igreja. É docente da Universidade Católica Portuguesa e publicou em outubro de 2021 o livro “O caminho sinodal com o Papa Francisco”. Na diocese do Porto é pároco de Anta e Guetim no concelho de Espinho.

Sinodalidade na formação do clero

Na edição VP de 29 de novembro de 2023, o padre Sérgio Leal formulou um primeiro comentário sobre a primeira sessão do Sínodo de outubro em Roma. Focou parte da sua reflexão na importância fundamental da formação permanente do clero e da formação inicial nos seminários, considerando que devem ter em conta o princípio sinodal. O sacerdote apontou o risco da perda de representatividade do ministério ordenado na sociedade de hoje.

“Em primeiro lugar, o ministério ordenado, ser padre, ser bispo hoje: só encontraremos o lugar que devemos ocupar se for prioritário, já a partir de agora, que a formação permanente do clero e a formação inicial nos seminários diocesanos tenham em conta este princípio sinodal. É fundamental que a formação permanente do clero, as equipas de formação nos seminários diocesanos, apontem o projeto educativo, os programas de formação, a partir desta perspetiva sinodal. Porque de outro modo perderemos não apenas o andamento do Sínodo, não perderemos apenas esta perspetiva do Papa Francisco, mas, eu creio, que perderemos o modo do nosso ministério ordenado ser ainda representativo para a sociedade de hoje”, disse o padre Sérgio Leal.

RS