Jornadas de Teologia: bispo do Porto disse que agricultura é hoje “uma arte de empobrecer tristemente”

Na abertura das Jornadas de Teologia da Universidade Católica nesta segunda-feira 5 de fevereiro, D. Manuel Linda considerou que a agricultura se tornou “uma arte de empobrecer tristemente”.

““Há 100 anos que andamos a dizer em Portugal, em Espanha e inclusivamente noutros países da Europa que a agricultura é uma arte de empobrecer alegremente. O empobrecer subsiste e o alegremente desapareceu. E hoje poderíamos dizer que é uma arte de empobrecer tristemente”, afirmou.

D. Manuel Linda lembrou o protesto dos agricultores para deixar criticas “às poderosíssimas cadeias de distribuição”. O bispo deu o exemplo de um agricultor que “vendia as suas maçãs a 25 cêntimos o quilo que, depois, estavam no supermercado a 2 euros” e deixou uma pergunta retorica: “Quem ganha? É o agricultor? É o consumidor? Nenhum, nenhum deles”, assinalou.

O bispo do Porto referiu também a exploração de migrantes, onde se verifica o “sugar do sangue dos outros”. “Surgem novos perfis de pobreza, aqueles que são explorados indecentemente. Aqui, na cidade do Porto, num caso testemunhado por mim, vi dentro de um baixo com 14 ou 15 metros quadrados que estavam a dormir 12 emigrantes. Cada um pagava 250 euros, sem fatura, sem recibo, sem nada. Vejam como há quem, de facto, retira do sangue dos outros o seu sustento e o seu crescimento como magnatas. É um crescimento económico à base de sugar o sangue dos outros”, declarou.

Aos participantes nas Jornadas de Teologia que decorrem no Porto até dia 8 de fevereiro, D. Manuel Linda pediu uma “boa reflexão para que se consiga levar ao grande publico ideias novas para estes tempos novos”.

RS com Henrique Cunha, Rádio Renascença