Papa: situação grave na Terra Santa, agir para cessar o conflito

Na audiência com os membros do Studium Biblicum Franciscanum nascido, em Jerusalém, cem anos atrás, Francisco lançou um novo apelo pela paz nos Lugares santos e convida a rezar incessantemente. Pediu aos franciscanos que dirigem a instituição acadêmica para que continuem oferecendo o seu testemunho no lugar onde teve origem o cristianismo.

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta segunda-feira (15/01), na Sala Clementina, no Vaticano, uma delegação do Studium Biblicum Franciscanum pelo seu centenário de fundação.

do em Jerusalém, no Santuário da Flagelação, em 7 de janeiro de 1924, e alguns anos depois foi ligado ao Colégio Santo Antônio de Roma, hoje Pontifícia Universidade Antonianum. Desde então, a sua história sempre esteve ligada à presença dos Frades Menores na Terra Santa.

Graças ao trabalho paciente de professores e arqueólogos do Studium Biblicum Franciscanum, é possível ir e rezar sobre as ruínas da casa do Apóstolo Pedro, em Cafarnaum, no Lago de Tiberíades.

Com sua Biblioteca e Museu, o Studium Biblicum Franciscanum “deu e continua dando impulso a importantes escavações arqueológicas, em vários sítios, fazendo descobertas valiosas, a ponto de obter, em 2001, o reconhecimento como Facultas Scientiarum Biblicarum et Archaeologiae. Isso determinou sua peculiaridade de unir ao estudo das Sagradas Escrituras a permanência nos Lugares Santos e a pesquisa arqueológica, o que lhe permitiu ampliar e aprofundar consideravelmente seus programas e metodologias”.

Canalizar o estudo das Escrituras para o serviço pastoral

“Além disso, para vocês, o amor pelos textos bíblicos é um amor fundado na mesma vontade de São Francisco”, disse ainda o Papa, ressaltando que para São Francisco, “o conhecimento da Palavra de Deus, e também o seu estudo, não são questões de mera erudição, mas experiências de natureza sapiencial, cujo objetivo, na fé, é ajudar as pessoas a viverem melhor o Evangelho e torná-las boas”. São Boaventura de Bagnoregio, cujo aniversário de 750 anos de morte será celebrado este ano, discípulo fiel de São Francisco de Assis entendeu isso muito bem. Segundo ele, para acolher o dom da Palavra de Deus é necessário «aproximar-se do Pai da luz com fé simples e rezar com o coração humilde, porque Ele, através do Filho e no Espírito Santo, nos concede o verdadeiro conhecimento de Jesus Cristo e, com o conhecimento, também o amor».

Por ocasião do seu centenário, exorto-os a não perderem de vista este tipo de abordagem das Escrituras. O estudo rigoroso e científico das fontes bíblicas, enriquecido pelos mais modernos métodos e disciplinas afins, esteja sempre unido ao contato com a vida do povo santo de Deus e voltado para o seu serviço pastoral, em harmonia e em benefício do seu carisma específico na Igreja.

“Queridos, neste tempo em que o Senhor nos pede para ouvir e conhecer melhor a sua Palavra, para fazê-la ressoar no mundo de forma cada vez mais compreensível, o seu trabalho discreto e apaixonado é mais precioso do que nunca. Encorajo-os, portanto, a continuar a realizá-lo e a qualificá-lo na pesquisa, no ensino e na atividade arqueológica”, disse o Papa, acrescentando:

Situação atual da Terra Santa

“A situação atual da Terra Santa e dos povos que a habitam nos envolve e nos aflige. É muito grave sob todos os pontos de vista. Devemos rezar e agir incansavelmente para que essa tragédia termine.”

Que isso os estimule ainda mais a aprofundar as razões e a qualidade de sua presença nesses Lugares martirizados, onde se encontram as raízes da nossa fé.

(inf; Vatican News)