Ministros Extraordinários da Comunhão

Foto: Rui Saraiva

Por Secretariado Diocesano da Liturgia

Que idade devem ter os fiéis propostos para o serviço de Ministros Extraordinários da Comunhão [= MECs]? As normas orientadoras da Diocese do Porto, dizem que, em prin­cipio, deverão ser propostas pessoas entre os 25 e os 70 anos» tendo «dado provas de maturidade cristã adulta». Diga-se que a idade de 25 anos, ainda sem suficiente estabilidade profissional e familiar, não parece excessiva para as devidas provas de maturidade cristã adulta. Entretanto, as exceções mais requeridas são as de candidatos com mais de 70 anos… O que diz muito do envelhecimento das nossas assembleias e dos seus servidores. Neste serviço peculiar deve ter-se em consideração que os MECs, para além de ministrar a sagrada Comunhão nas celebrações litúrgicas das suas comunidades, devem estar também ao serviço de pessoas frágeis e vulneráveis devido a doença ou idade avançada e que requerem visita domiciliária. Para tal, deverão aliar à maturidade requerida, alguma condição de saúde e robustez a ponderar pelos proponentes.

A nomeação de alguém para MEC é reservada ao Bispo Diocesano. Em circunstâncias normais, mais ninguém poderá dar o encargo estável de levar a Eucaristia e de a distribuir a outros fiéis, a quem não tenha recebido este mandato legítimo.

Os requerimentos com a proposta de novos MECs, segundo o modelo impresso (disponível na Cúria Diocesana ou no Secretariado Diocesano de Liturgia), devem ser enviados ao Secretariado Diocesano de Liturgia até 31 de Maio. Os requerimentos deverão incluir ou anexar certidão autêntica de Batismo e de Confirmação dos candidatos (o modelo aprovado prevê um espaço para esse efeito) e declaração do candidato devidamente preenchida e assinada.

O breve curso de preparação, de participação obrigatória, está agendado para os dias 29 de junho, das 9:30 h às 12:30 h e das 14:30 h às ­17:30 h e 6 de julho, das 9:30 h às 12:30 h, na Casa Diocesana – Seminário de Vilar. No caso de aprovação da candidatura, os futuros MECs deverão participar numa recoleção espiritual no dia 5 de outubro, na Casa Diocesana – Seminário de Vilar, das 9:30 h às 12:30 h. A celebração da investidura está prevista para 6 de Outubro de 2024.

Formação Permanente

Os MECs – como todos os fiéis, mas de modo especial os que desempenham serviços importantes para a comunidade – devem cuidar da sua formação. Estão à porta os primeiros encontros de formação organizados pelo S.D.L. para o corrente ano. Recordamos aqui os lugares e as datas:

Amarante – Centro Pastoral: 25/02/2024 e 20/10/2024 das 15 h às 16:30 h.

Carvalhos – Auditório Claret: 7/02/2024 e 16/10/2024 das 21:30 h às 23 h.

Penafiel – Igreja Matriz de Bustelo: 18/02/2024 e 27/10/2024 das 15 h às 16:30 h.

Porto – Casa Diocesana de Vilar: 4/02/2024 e 13/10/2024, das 15 h às 16:30 h.

S.to Tirso – Colégio de S.ta Teresa: 20/02/2024 e 22/10/2024 das 21 h às 22:30 h.

S. João da Madeira – Centro Paroquial: 6/02/2024 e 15/10/2024 das 21:30 h às 23 h.

S. Mamede de Infesta – Salão Paroquial: 21/02/2024 e 9/10/2024 das 21:30 h às 23 h.

Recondução dos MECs

Em 2024 deverão ser substituídos os cartões válidos até 2024 e a recondução será até 2027. Após o devido discernimento, caso a caso, compete aos párocos, reitores e superiores de casas religiosas submeter ao Senhor Bispo, mediante este Secretariado Diocesano, requerimento segundo o modelo impresso, disponível na Cúria Diocesana ou no Secretariado Diocesano de Liturgia. Cada formulário permite reconduzir até 4 MECs. O prazo para fazer chegar ao Secretariado Diocesano de Liturgia os requerimentos de recondução prolonga-se até 29 de fevereiro de 2024.

Para cada mandato emite-se um novo cartão de identidade. Para tal, requer-se a indicação do número de ministro, uma foto recente e 5 € para despesas de emissão e expediente.

NB.: Os cartões cessantes continuam na posse dos seus titulares.