Bens essenciais. “IVA zero” acaba, mas preços vão subir para lá do valor do imposto

A medida “IVA Zero” termina esta quinta-feira, mas só amanhã é que os preços aumentam, depois de oito meses com 46 alimentos isentos.

O IVA volta a ser aplicado a partir de amanhã, sexta-feira, mas os preços poderão aumentar acima do valor da reposição do imposto. O aviso parte do diretor-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

“É expectável”, diz Gonçalo Lobo Xavier à Renascença, argumentando que “toda a cadeia de valor está a ser pressionada com aumentos de preços dos vários custos de produção” como “as portagens, os transportes, os combustíveis e energia que têm impacto na produção agrícola, na agroindústria e na indústria em geral”.

Em consequência – e por muito esforço que o retalho faça para absorver estes aumentos -, “é muito difícil não transmitir para o produto final”.

O “IVA zero” termina esta quinta-feira, mas só amanhã é que os preços aumentam, depois de oito meses com 46 alimentos isentos de imposto.

Gonçalo Lobo Xavier explica que os operadores já estão preparados para voltar a aplicar o IVA: “O prolongamento do IVA zero por parte do Governo foi até dia 4 de janeiro, inclusive, portanto, as nossas lojas hoje em todo o retalho alimentar ainda estão a cumprir escrupulosamente a lei e a partir de amanhã, sim, toda a nossa operação já está preparada.”

A medida do “IVA zero”, que agora chega ao fim, foi desenhada e entrou em vigor a 18 de abril do ano passado, para ajudar a colmatar as dificuldades sentidas pelos portugueses provocadas pelo aumento da inflação.

(inf: Rádio Renascença)