Bispo do Porto sublinha a necessidade de despertar o mundo para Deus

Foto: Infinitus Memories

Na Catedral do Porto foram instituídos leitores e acólitos

No domingo dia 3 de dezembro, na Catedral do Porto, foram instituídos nos ministérios de leitor e acólito os seguintes candidatos:

Leitor: do Diaconado Permanente, António Armindo Gomes de Sousa, Nevogilde, Porto; do Seminário Redemptoris Mater, Isaias Higuera, de Fresno, EUA, João Nuno Marques Silva, do Funchal, José Manuel Ferrão Abrantes, de Mangualde; do Seminário Maior do Porto, José Manuel Silvares Máximo, de Abragão, Penafiel e Rui Filipe Ribeiro Soares de Ermesinde, Valongo.

Acólito: do Seminário Maior do Porto, Emanuel João Macedo da Mata, de S. Mamede de Infesta, Matosinhos, do Seminário Redemptoris Mater, José Moisés Ramirez Guerra de Santa Maria de Jesús, Peru e da Sociedade Missionária da Boa Nova, Afonso Lopes Mateus Dumbo, Fabiano Sacanumba Sacalucango e Rosário Bungi Sangenge.

Na sua homilia D. Manuel Linda afirmou que “o Evangelho diz-nos que foi à pessoa humana que o Senhor confiou o mundo. E que esta, tanto pode vigiar e estar ativa como dormitar e cruzar os braços. É necessário despertar a todos, particularmente aos mais propensos ao sono, verdadeira doença que se opõe ao necessário dinamismo de edificação do Reino de Deus. À vossa medida, sereis vós estes mesmos despertadores que Deus envia ao meio do grande mundo dormente e trôpego. Os instrumentos que usareis não são os do barulho dos tiros ou os gritos da violência, mas o serviço da Palavra e o convite para a reunião à volta da mesa onde a grande família da Igreja se alimenta do Pão da Palavra e do Corpo do Senhor. Por isso, dizei a todos esta grande novidade: que o cristão espera em Deus porque, primeiro, Deus esperou e confiou nele. Mesmo se adormecido. Que Deus esperou e confiou que cada um de nós correspondesse ao seu amor. Que Deus espera e confia nas nossas imensas possibilidades de bem, de ternura, de encanto”, disse o bispo do Porto.

RS