Um concerto de Natal de grande valor e significado

Contou com a presença do Bispo do Porto, Manuel Linda, do Presidente do Cabido, Jorge Cunha, dos Cónegos António Ferreira dos Santos, João Peixoto e Fernando Milheiro, o Concerto de Natal proposto pelo Coro da Sé Catedral do Porto, patrocinado pelo cabido Portucalense, sob a direção de Tiago Ferreira, com a Orquestra Sine Nomine, os solistas Raquel Mendes (soprano) Ana Santos (mezzo-soprano), Alexandra Calado (alto) Leonel Pinheiro (tenor) e Job Tomé (barítono) e o organista Filipe Veríssimo.

O programa na noite de 17 de dezembro continha duas obras principais: a cantata BWV 61 de J. S. Bach e a Oratória de Natal, de Camille Saint Saens, para além do belo motete natalício de Mendelssohn e do Adeste fideles.

Há que saudar ao mesmo tempo o facto de a catedral se encontrar repleta, como já há muito não se via. Sobretudo há que saudar a extraordinária qualidade da interpretação dos solistas, coro e orquestra, pelo rigor da linguagem e pelo sentido de interioridade e sentido interpretativo que o maestro transmitiu ao conjunto. Um dos mais belos concertos de Natal que temos presenciado. O texto latino da oratória, culminando na conhecida melodia do “Tollite hostias” teve excelentes interpretações, quer dos solistas, quer do organista quer da orquestra, quer do coro, muito bem enquadrada no conjunto. Até o “Adeste” final mereceu invulgar  entusiasmo dos participantes.