JMJ 2023: símbolos mobilizam Maia e Matosinhos 

A cruz peregrina e o ícone mariano passaram pela prisão feminina de Santa Cruz do Bispo, na peregrinação pela vigararia de Matosinhos e animaram a vigararia da Maia numa comovente vigília.

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) estiveram na vigararia da Maia entre 26 e 27 de outubro. A cruz e o ícone marcaram presença numa vigília que comoveu os participantes.

O momento de oração, na Igreja de Nossa Senhora da Maia, encerrou o primeiro de dois dias de passagem pela vigararia.

No início da tarde de dia 26 de outubro os símbolos estiveram na Casa do Alto, onde funcionam um centro de dia e uma creche. Neste local foi visível a alegria na interação entre idosos e crianças.

Depois da vigília, que atraiu muitos fiéis, a cruz e o ícone foram levados até aos missionários Combonianos da Maia, onde se realizaram atividades preparadas por vários grupos de jovens.

Na quinta-feira, 27 de outubro, os símbolos visitaram a Escola Secundária da Maia, onde uma multidão se mobilizou para estar perto da cruz peregrina e do ícone mariano.

Até a passagem para a vigararia de Matosinhos, ainda houve tempo para visitar os bombeiros voluntários e a Universidade da Maia.

Símbolos visitam prisão em Matosinhos

Nos dias seguintes, 27 e 28 de outubro, os símbolos continuaram a peregrinação por Matosinhos, onde visitaram um estabelecimento prisional.

A cruz e o ícone da JMJ estiveram na prisão feminina de Santa Cruz do Bispo. As reclusas comoveram-se com os símbolos e aproximaram-se deles.

A peregrinação por Matosinhos tinha o objetivo de passar por todas as paróquias da vigararia. O mau tempo não ajudou e a caminhada noturna de dia 27 de outubro foi mesmo cancelada.

Apesar dos contratempos, a passagem dos símbolos não deixou de emocionar e empolgar pessoas de todas as idades.

Já no dia 28 de outubro, antes de serem entregues à vigaria de Gondomar, houve uma oração ao estilo de Taizé, que contagiou muitas pessoas.

MC