Mariupol: tanque russo atinge Centro da Caritas e faz 7 mortos

“Honramos o sacrifício dos agentes humanitários rezando por eles e por suas famílias. Acreditamos que Deus ouve o clamor dos pobres e dos justos”, disse em entrevista ao Vatican News o presidente da Caritas Internationalis, cardeal Luis Antonio Tagle.

O centro da Caritas em Mariupol foi destruído “por um tanque russo” e 7 pessoas foram mortas, incluindo 2 membros da equipe da Caritas, informou em um tweet na noite de segunda-feira, 11,  a Caritas Ucrânia, acrescentando que no momento do ataque, havia pessoas no prédio que se escondiam do bombardeio e buscavam um lugar seguro.

“Esta dramática notícia deixa a família Caritas horrorizada e chocada. Unimo-nos na dor e na solidariedade com o sofrimento das famílias e dos nossos colegas da Caritas Ucrânia que vivem esta tragédia”. Com estas palavras, o secretário geral da Caritas Internationalis, Aloysius John, expressa a dor da Confederação pela notícia da morte de dois colaboradores da Caritas Ucrânia Mariupol.

O fato foi conhecido apenas nas últimas horas, mas o trágico ataque provavelmente ocorreu em 15 de março, quando tiros foram disparados de um tanque contra o prédio do centro Caritas em Mariupol, matando os dois colaboradores e cinco de seus familiares. Neste momento, devido à falta de comunicação com a cidade de Mariupol e à impossibilidade de ter acesso às instalações do centro da Caritas, o escritório nacional da Caritas Ucrânia ainda não possui elementos suficientes para determinar o que aconteceu e continua a coletar informações. Presumivelmente, os trabalhadores da Caritas e suas famílias se refugiavam no centro durante o bombardeio da cidade. “Precisamos de sua solidariedade e orações pelas famílias das vítimas”, disse a presidente da Caritas Ucrânia, Tetiana Stawnychy.

Já o presidente da Caritas Internationalis, cardeal Luis Antonio Tagle, destaca na entrevista à mídia vaticana o valor do testemunho daqueles que, com risco de vida, ajudam o povo ucraniano devastado pela guerra e faz um apelo pelo fim do conflito.

O centro da Caritas em Mariupol foi destruído. Pelo menos sete pessoas morreram, incluindo duas mulheres da equipe. Com que sentimentos o senhor recebeu esta trágica notícia?

Sinto profunda tristeza e choque com a notícia do ataque que levou à perda de vidas. A Caritas internationalis expressa as suas profundas condolências e a sua proximidade às famílias dos que perderam a vida e daqueles que resultaram feridos. A nossa tristeza transforma-se em um apelo à comunidade internacional para que faça todos os esforços para pôr fim a esta violência, para voltar ao diálogo e reconhecer em cada pessoa um irmão e uma irmã.

O que o senhor gostaria de dizer para as mulheres e homens que todos os dias – mesmo arriscando suas vidas – fazem o seu melhor para ajudar o povo ucraniano?

Às mulheres e aos homens que arriscam a vida, endereçamos uma palavra de sincero agradecimento. Vocês estão fazendo uma ação santa, uma obra santa! Para cada boa ação feita desinteressadamente, vocês estão plantando sementes de verdade, justiça, amor e paz que mudarão o mundo. Deus fará com que seus esforços não sejam em vão. Seus esforços darão frutos.

O que podemos fazer para honrar o sacrifício desses trabalhadores humanitários da Caritas e de todas as vítimas desta terrível guerra?

Honramos o sacrifício dos agentes humanitários rezando por eles e por suas famílias. Acreditamos que Deus ouve o clamor dos pobres e dos justos. Nós os honramos afirmando o valor do serviço prestado pelas organizações humanitárias que deve ser respeitado. Nós os honramos rezando a Deus e fazendo um apelo às pessoas de boa vontade para que pensem e trabalhem pela paz.

(inf: Vatican News)