Pela paz na Ucrânia

O Papa Francisco vai consagrar a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria no dia 25 de março, Solenidade da Anunciação do Senhor. Será na Basílica de S. Pedro no Vaticano e em ligação com a Capelinha das Aparições em Fátima.

Quase dois anos após a intensa oração de Francisco, no início da pandemia de covid-19, numa Praça de S. Pedro vazia, o coração do Papa volta a encher-se de preces em tempo de Quaresma.

Oração de Consagração

É a guerra na Ucrânia, causada pela invasão da Rússia iniciada no dia 24 de fevereiro, a preocupar o Santo Padre e toda a comunidade internacional. No domingo dia 20 de março, após a oração do Angelus, Francisco considerou este conflito uma “guerra repugnante”.

“Suplico a todos os atores da comunidade internacional, para que se empenhem realmente para pôr fim a esta guerra repugnante” – disse o Papa.

O Santo Padre referiu-se à “violenta agressão contra a Ucrânia” como “um massacre insensato onde a cada dia se repetem destruição e atrocidades”.

Neste contexto de enorme preocupação, o Papa Francisco decidiu na próxima sexta-feira 25 de março, Solenidade da Anunciação do Senhor, consagrar a Rússia e Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria. Este ato decorrerá na Basílica de S. Pedro, durante uma Celebração Penitencial.

Em ligação a Fátima

Este momento de Consagração decorrerá em simultâneo com o Santuário de Fátima onde estará o cardeal Konrad Krajewski, esmoleiro apostólico, como enviado do Santo Padre.

A celebração, na Cova da Iria, vai decorrer na Capelinha das Aparições “em plena sintonia com o Santo Padre” – informa a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) em comunicado.

“O Papa Francisco enviará a Fátima, como Legado Pontifício, o Cardeal Konrad Krajewski, Esmoler Apostólico, o qual fará o ato de consagração na Capelinha das Aparições” – pode ler-se na nota.

Este ato de consagração será “às 16h00, durante a oração do Rosário” – informam os bispos.

“Pede-se que todas as paróquias, comunidades, institutos de vida consagrada e outras instituições eclesiais assumam esta intenção de consagração nas celebrações desse dia, nomeadamente nas Vias-Sacras, nas Eucaristias, na Oração do Rosário e no itinerário “24 horas para o Senhor” que se inicia na tarde desse dia” – diz o comunicado que sublinha a “profunda comunhão com o Santo Padre” dos “bispos portugueses”.

“Por intercessão do Imaculado Coração de Maria, Rainha da Paz, continuemos a rezar pelo povo ucraniano, perseguido na sua terra e disperso pelo mundo, para que o Senhor atenda as nossas preces e os esforços das pessoas de boa vontade, e lhe conceda a paz e o regresso a suas casas” – escreve a CEP.

Recordemos que a 25 de março de 1984, o Papa São João Paulo II presidiu à consagração do mundo ao coração de Maria, no Vaticano, diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima, venerada na Capelinha das Aparições. O testemunho dos videntes de Fátima regista que, na aparição de 13 de julho de 1917, Nossa Senhora lhes disse: “Para impedir a guerra virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração”.

RS