Senhora da Hora: obras no exterior da igreja já se iniciaram

Aberta ao culto desde 11 de fevereiro de 1963, a Igreja Paroquial da Senhora da Hora está a ser alvo de um profundo trabalho de conservação e requalificação da cobertura e de todo o seu exterior. Ao longo de 59 anos, as infiltrações provocaram o destacamento do reboco e o apodrecimento dos revestimentos.

O projeto, da autoria da arquiteta Joana Araújo, da empresa Lantana, prevê, como tal, a recuperação das coberturas e dos elementos metálicos, uma intervenção nas paredes exteriores e da torre sineira, uma intervenção em vãos, a substituição da caixilharia, o restauro dos vitrais e uma intervenção no campanário da torre sineira. As obras começaram no passado 17 de janeiro e, segundo o Eng.º Pedro Neto, da STB Reabilitação do Património Edificado Lda., a empreitada deverá estar concluída dentro de um ano. No site da Paróquia e nas redes sociais circula um vídeo promocional das obras.

A apresentação pública do projeto decorreu na tarde do passado sábado, dia 12 de fevereiro, na Igreja Paroquial da Senhora da Hora, e contou, entre outros, com a participação da Presidente da Câmara Municipal, Luísa Salgueiro, do Vice-presidente da autarquia, Carlos Mouta, e do Vereador da Cultura, Fernando Rocha, do pároco, Pe. Amaro Gonçalo Ferreira Lopes e de António Valente, em representação do Conselho Paroquial para os Assuntos Económicos. Este leigo tomou a palavra para desafiar a comunidade “a cuidar da nossa Casa Comum”. E insistiu “não se trata agora de pensar em ajudar a Igreja. Trata-se de darmos e de colaborarmos todos juntos, para as obras de requalificação do exterior da nossa Igreja. Trata-se de cuidar desta Casa que é de todos: dos que vêm cá habitualmente, dos que vêm raramente, dos que vêm só quando precisam, dos que nos vêm visitar”.

A intervenção mais esperada era a da Presidente da Câmara, que destacou o significado desta obra: “Este é um momento simbólico, pois este é um projeto de toda a comunidade. A Igreja Paroquial da Senhora da Hora é um edifício icónico, e está num dos centros mais dinâmicos do concelho”. A Presidente, Luisa Salgueiro, enumerou algumas instituições locais de referência na Senhora da Hora: o Hospital Pedro Hispano, o Instituto Cuf, a Porto Business School (entre as melhores escolas superiores de negócios a nível europeu), o Colégio Efanor (entre os melhores colégios privados), a Escola Superior de Arte e Design, o Instituto Superior de Serviço Social do Porto, o Centro Comercial Norte Shopping, que é um dos maiores da Península Ibérica. Apontou ainda a futura urbanização de alta qualidade, nos terrenos que foram da antiga Efanor.

O investimento nesta empreitada ronda os 500 mil euros, dos quais cerca de 50% são suportados pela Câmara Municipal de Matosinhos, como garantiu a Presidente.

A Paróquia tem agora de dar resposta ao remanescente. E, segundo o testemunho do pároco, Pe. Amaro Gonçalo, tal será possível, graças a uma comunidade que desafia o medo da pandemia, com a coragem desta obra, para mostrar que as crises nos tornam mais unidos, mais fortes e mais resilientes. Curiosamente, em contraciclo com a situação de muitas paróquias, o contributo paroquial para obras quase duplicou durante a pandemia.

Na intervenção inicial, o pároco fez a história deste sonho, que remonta a 2014-2015, explicou as razões por que se adiaram, para já, as obras de requalificação também do interior da Igreja. A concluir, acentuou alguns sinais de esperança e de confiança na resposta, tais como a forte adesão da comunidade às iniciativas de angariação de fundos e a adesão de várias pessoas e famílias a uma proposta de empréstimo celebrado por Contrato de Mútuo entre particulares e a Fábrica da Igreja, evitando-se assim os juros de empréstimo bancário. “Se correr bem esta fase”, disse o Pároco, “avançaremos para a segunda”.

Esta apresentação pública foi iniciada e concluída com cânticos vários, interpretados pelo Vidi Aquam Coral de Nossa Senhora da Hora e pelos corais litúrgicos paroquiais. Ao mesmo tempo, o “Mercado das Sete Bocas”, dinamizado pelos jovens, com a partilha de muitos, aguçava o apetite e adoçava o bico de tantos que participaram na Eucaristia Vespertina e ficaram para esta Apresentação pública. A iniciativa, num registo de informação, de esclarecimento, de envolvência e de transparência financeira, foi muito justamente apreciada.

AG