Covid-19: desconfinamento deverá começar pelas escolas

Ministra da Presidência confirmou intenção do Governo de começar pelas escolas o desconfinamento, mas deixou claro que isso ainda é prematuro.

Por Rui Saraiva

O confinamento geral que está a ser cumprido em Portugal, desde meados do mês de janeiro, está a gerar resultados muito positivos bem patentes na descida do número de infetados e de óbitos. Dados que podem ajudar a uma tomada de decisão para um futuro desconfinamento.

A este propósito se referiu a Ministra da Presidência confirmando que será “pelas escolas que recomeçará o desconfinamento”. Como informa a Agência Lusa, Mariana Vieira da Silva confirmou no passado sábado dia 20 de fevereiro esta intenção do Governo, falando no âmbito de uma iniciativa promovida através de videoconferência pela Juventude Socialista.

“Eu queria dizer que me revejo nesse problema. Não é por acaso que se procurou evitar o encerramento de escolas até ao limite do possível e que o Governo também já disse que é precisamente pelas escolas que recomeçará o desconfinamento”, afirmou Mariana Vieira da Silva que é membro do Secretariado Nacional do Partido Socialista.

A Ministra da Presidência assinalou ainda que “apesar de as escolas estarem fechadas, são servidas cerca de 18% das refeições normais de um período de não encerramento de escolas”. Lembrou ainda a importância de medidas que permitem a frequência escolar presencial a “alunos com terapias adicionais” e com “necessidades educativas especiais”.

Assinalando que a pandemia ainda vai continuar a marcar a nossa vida, Mariana Vieira da Silva apelou à atenção dos portugueses para os “números muito elevados de internamento nos hospitais”:

“Este é o momento de voltarmos a apelar a todas as portuguesas e portugueses que é preciso considerarmos que estamos com números muito elevados de internamento nos hospitais e nas unidades de cuidados intensivos e, sendo animador o caminho que estamos a fazer, é ainda muito cedo para pensar que ele está perto do fim” – frisou.

A Ministra da Presidência esclareceu ainda ser “prematuro falar para esta próxima quinzena de desconfinamento e nomeadamente em matéria de escolas”.

Recordemos que está em vigor em Portugal o estado de emergência com confinamento geral até ao próximo dia 1 de março. Já faleceram no país mais de 15 mil pessoas com covid-19. Desde o início da pandemia foram registados mais de 796 mil infetados com o novo coronavírus, de acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde.