Consistório 2020: Papa alerta cardeais para tentação de verem nova missão como uma «distinção»

Francisco presidiu ao sétimo consistório do seu pontificado, com restrições provocadas pela pandemia.

O Papa presidiu no sábado, 28 de novembro, no Vaticano ao sétimo consistório do seu pontificado, alertando os novos cardeais para a tentação de verem nesta nova missão uma “distinção”.

“Com os pés, com o corpo, podemos estar com Jesus, mas o nosso coração pode estar longe e levar-nos para fora do caminho. Assim, por exemplo, o vermelho purpúreo das vestes cardinalícias, que é a cor do sangue, pode tornar-se, para o espírito mundano, a cor duma distinção eminente”, declarou, na homilia da celebração, com limitações impostas pela Covid-19.

Francisco disse aos cardeais que devem estar “vigilantes” para permanecer no caminho de Jesus Cristo, “força e sentido” da sua vida e do seu ministério.

A homilia centrou-se numa passagem do Evangelho de São Marcos (10, 32-45) em que Jesus Cristo questiona os seus discípulos sobre pretensões de poder, afirmando que devem ser “servos de todos”.

“Também nós, Papa e Cardeais, devemos espelhar-nos sempre nesta Palavra de verdade. É uma espada afiada: corta, é dolorosa, mas ao mesmo tempo cura-nos, liberta-nos, converte-nos. A conversão é precisamente isto: sair de fora do caminho, ir para o caminho de Deus”, apontou.

O consistório foi anunciado pelo Papa a 25 de outubro e a lista de 13 cardeais inclui nove eleitores (cardeais com menos de 80 anos de idade) num eventual conclave.

(inf: Agência Ecclesia)