Já disponível o novo fascículo da revista “Igreja Portucalense”

Foto: Rui Saraiva

Acaba de ser sair o fascículo 53 do boletim da diocese do Porto “Igreja Portucalense”, referente ao período de maio a agosto de 2020, reunindo em 269 páginas um conjunto de textos distribuídos pelas secções habituais.

Em “Da Sede de Pedro”, a revista apresenta a crónica da Santa Sé referente ao período do fascículo, da autoria de José M. Pacheco Gonçalves, sob o título “Curar o mundo, à luz do Evangelho: novos caminhos e novos estilos de vida”. É acompanhada por três textos pontifícios que a ilustram, entre os quais a carta aos sacerdotes da diocese de Roma de 31 de maio.

Em “Atos Episcopais”, após um comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa a propósito da COVID-19 e das orientações para a celebração do culto público no mesmo contexto, reúnem-se quatro homilias, 12 breves mensagens e nove outras intervenções de D. Manuel Linda. Destacamos a carta ao clero por ocasião de Quinta-feira Santa, marcada como outras das suas intervenções pelo contexto pandémico.

O boletim diocesano acompanha também a atividade das instâncias diocesanas de corresponsabilidade, nomeadamente a sessão do Conselho Presbiteral de 20 de maio realizada online (“Conselho Presbiteral deita contas à vida e repensa a pastoral”). A secção ainda integra um texto (“A iniciação cristã na missão do diácono permanente: realidade e desafios”) alusivo ao encontro do fim do ano pastoral dos diáconos permanentes e dos candidatos em formação que, na impossibilidade de realização da Assembleia Diocesana de diáconos, permitiu a apresentação dos trabalhos preparatórios da mesma.

A secção seguinte é preenchida pela publicação do Plano Diocesano de Pastoral 2020/2021.

Em “Secretariados”, a revista dá à estampa o «Guia pratico para o percurso de discernimento de situações ‘irregulares’”, publicado pelo Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar, e um texto de programação do Secretariado Diocesano da Educação Cristã sob o título “Acompanhar a gestão da ‘vida nova em Cristo’”.

Na secção “Estudos”, a revista publica três artigos: “A volta de uma mesa setecentista. Breves notas sobre a Casa do Cabido da Se do Porto e a mesa setecentista da Sala Capitular” (Luís Carlos Amaral); “Santos e santidade no magistério do Papa Francisco” (Giovanni Angelo Becciu); “Uma apresentação do novo Diretório para a Catequese” (Sérgio Leal). O primeiro é um estudo que legitima e sustenta cientificamente o pedido formulado pelo Cabido Portucalense à direção do Palácio Nacional de Sintra para a cedência, em regime de deposito, da referida mesa; cedência já concretizada. O segundo é o texto da conferência proferida na Casa de Vilar em fevereiro passado no contexto das celebrações dos seus 25 anos. O último resulta da intervenção do autor no Encontro de Vigários da Diocese do Porto de julho passado.

Em “Figuras e factos”, dá-se destaque aos 25 anos da Casa de Vilar, mediante um texto da direção da mesma, e ao Centenário da ordenação episcopal de D. José Alves Correia da Silva, primeiro bispo da restaurada diocese de Leiria oriundo do clero do Porto, através de um texto de Joaquim Domingos Areais. A secção ainda inclui dois textos de reflexão alusivos a acontecimentos mais globais que marcaram o período da revista: a reconversão da basílica de Santa Sofia em mesquita e a pandemia por COVID-19.

Em “Livros”, publicam-se duas recensões.

(inf: Revista Igreja Portucalense)