Festa do Divino Salvador na Paróquia de Castelões de Cepeda

Na cidade de Paredes, a terceira semana do mês de julho é sempre marcada pelas grandes festividades em honra do seu Padroeiro, o Divino Salvador.

Este ano, por causa da pandemia que assola o mundo, tudo teve de ser diferente.  Sim – foi diferente – mas não deixamos de fazer Festa. Foi uma Festa mais ‘silenciosa’ sem a confusão das multidões e sem os habituais ruídos próprios das grandes romarias. Foi uma Festa voltada para a reflexão e para a oração. Foi uma festa mais intimista, que confunde aqueles que procuram apenas divertimento e aparato.

Por isso, com todas as preocupações e cuidados próprios deste tempo – respeitando sempre todas as normas da DGS – cumprimos um programa religioso que tentou dignificar, sem substituir, o entusiasmo de todos os paroquianos.

Iniciámos a semana, convocando as pessoas para um ‘encontro’ com a Mãe do Divino Salvador, na oração/recitação do terço. Depois, na terça-feira, dia 14 de julho, pudemos usufruir de um momento único e oportuno, numa tertúlia de grande elevação, com o jornalista Carlos Daniel, que nos ajudou a refletir o mundo e a Igreja em tempos de pandemia. Na quinta-feira, como é habitual, convocámos a Paróquia para a Adoração do Santíssimo Sacramento e para a Oração de Vésperas. Na sexta-feira, foi o Encontro dos Grupos Corais da Paróquia. E, no domingo – momento alto das festividades –, celebrámos a Eucaristia em honra do Divino Salvador, este ano presidida pelo Sr. Bispo Auxiliar do Porto, Dom Vitorino Soares.

Ao fim da tarde, na impossibilidade de realizarmos a ‘Majestosa Procissão’ que envolvia não só a Paróquia de Castelões de Cepeda, mas toda a Vigararia de Paredes, realizámos com a preciosa ajuda da Polícia Municipal e dos Bombeiros Voluntários de Paredes, a Visita/Passagem do Padroeiro, Divino Salvador, pelos Centros de Culto da Cidade: Capela de São José, Nicho de Nossa Senhora, Capela de Nossa Senhora da Guia, Santa Casa da Misericórdia e Capela do Calvário.

Foram momentos únicos, que apesar de serem muito diferentes do habitual, temos a convicção que vão ser lembrados durante muitos anos e ficarão na história desta Cidade de Paredes.

(inf. Paróquia de Castelões de Cepeda, Paredes)