Núncio Apostólico iniciou visita à diocese do Porto

Fotos: João Lopes Cardoso

Nesta sexta-feira dia 6 de dezembro teve início uma visita de dois dias do Núncio Apostólico, D. Ivo Scapolo, à diocese do Porto. O embaixador da Santa Sé em Portugal após ter sido recebido no Paço Episcopal do Porto, pelo bispo do Porto, D. Manuel Linda e pelo Ecónomo da diocese, padre Samuel Guedes.  começou por visitar a Catedral do Porto onde foi recebido pelo presidente do Cabido Portucalense, Cónego Jorge Cunha.

O programa da visita levará D. Ivo Scapolo à Casa Sacerdotal onde celebrará Missa e almoçará com os bispos eméritos e sacerdotes mais idosos que vivem nessa estrutura da diocese do Porto. Previstas visitas na sexta-feira dia 6 ao Estabelecimento Prisional Feminino de Santa Cruz do Bispo, que funciona em parceria com a Santa Casa da Misericórdia do Porto, à Obra Diocesana de Promoção Social, ao Seminário Redemptoris Mater e à Casa Diocesana de Vilar.

No sábado dia 7 de dezembro pela manhã o Núncio Apostólico visitará o Santuário do Monte da Virgem Imaculada, em Vila Nova de Gaia, e em Ermesinde o Seminário do Bom Pastor e o Santuário Diocesano de Santa Rita. No Seminário Maior do Porto celebrará Eucaristia e almoçará com os seminaristas e seus educadores.

Na parte da tarde, D. Ivo Scapolo terá oportunidade de visitar comunidades religiosas começando pelas Monjas Carmelitas do Mosteiro de Bande em Paços de Ferreira e em Santo Tirso as Monjas Beneditinas do Mosteiro de Roriz e os Monjes Beneditinos do Mosteiro de Singeverga. Conclui-se, assim, a Visita do Núncio Apostólico em Portugal à diocese do Porto.

De recordar que D. Ivo Scapolo apresentou as suas cartas credenciais ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa na sexta-feira dia 22 de novembro. Assinalou na ocasião ter sido “um encontro importante, muito solene, como é tradição em Portugal”.

O Papa Francisco nomeou, a 29 de agosto, o arcebispo italiano D. Ivo Scapolo, de 66 anos, como novo Núncio Apostólico em Portugal. Desde 2011 que era o representante diplomático do Papa no Chile. Sucede no cargo a D. Rino Passigato, que apresentou a sua renúncia após ter superado o limite de idade estabelecido pelo Direito Canónico.

(RS)