João Nuno no Fórum Internacional da Juventude

Jovem da Diocese do Porto esteve no Vaticano de 18 a 22 de junho.

No passado dia 18 de Junho de 2019, eu e a Catarina, da Diocese de Lamego, partimos para Roma para participarmos no XI Fórum Internacional da Juventude. Durante os 5 dias em que lá estivemos, vivemos momentos inesquecíveis.

Estivemos em representação da Conferência Episcopal Portuguesa e de todos os jovens do nosso país. Éramos dois entre cerca de 250 jovens, que representavam mais de 100 países e 40 movimentos. Este XI Fórum Internacional da Juventude, que tinha como tema “Os jovens em ação numa Igreja sinodal”, foi o momento importante de partilha que era necessário depois do Sínodo que decorreu em 2018. Neste encontro, foi possível ouvirmos primeiramente quem tinha muito a partilhar connosco, mas também partilharmos um pouco da nossa vivência e da nossa caminhada.

Durante os 4 dias em que se desenrolou o Fórum, estivemos reunidos em conferência, onde tivemos a possibilidade de ouvir as ideias de padres, de consagrados, de leigos e de jovens sobre a Exortação Apostólica Christus Vivit e sobre todo este caminho sinodal em que a Igreja se encontra, havendo também espaço para os jovens presentes colocarem questões aos oradores e partilharem um pouco da sua experiência. Além das conferências, tivemos a oportunidade de trabalhar em pequenos grupos com jovens de todo o mundo, onde foi possível compreender as suas realidades e de que forma é que cada país representado no grupo vive a vida da Igreja, de que forma está a realizar este caminho sinodal e a vivência e aplicação da Exortação Apostólica em cada realidade.

No final de cada dia, havia sempre lugar para a celebração da Eucaristia. Cada Eucaristia foi um momento único onde se sentia uma Igreja jovem em que Cristo está vivo, uma Igreja que acolhe cada um tal como ele é, independentemente do seu género, raça e cultura. Na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, tivemos à noite uma Adoração ao Santíssimo com textos da Exortação Apostólica, onde foi possível ver em primeira mão o Amor que os jovens têm por Jesus e pela sua Igreja. As horas das refeições eram momentos que partilhávamos sempre pessoas diferentes, pois todos os jovens ali presentes procuravam aqueles momentos para, de uma forma mais informal, partilharem as suas ideias e as suas vivências pessoais da Igreja e da Exortação Apostólica nas suas comunidades.

Na última noite do Fórum teve lugar uma festa cultural, onde cada país/continente, se assim o entendesse, poderia apresentar algo típico da sua cultura. Foi um momento de festa e partilha de culturas, que terminou com todos os jovens presentes no Fórum abraçados enquanto cantavam “Jesus Christ you are my life”.

De entre todas as coisas que trouxemos deste encontro, a maior delas é que, ainda que exista muito por fazer, temos a clara certeza de que não estamos parados nesta missão. Há muitos jovens como nós que se sentem amados por Deus Amor e que se sentem chamados a dar-se sem demora, como Maria. No último dia do Fórum, o encontro estava marcado com o Papa Francisco. Todos os jovens se dirigiram ao Vaticano com a esperança de ouvir o que o Santo Padre tinha para nos dizer. Depois de tanta ansiedade na espera, eis que entra a pessoa mais adorável que já vimos, com um sorriso gigante e com uns olhos que diziam que estava mesmo feliz por nos ver lá. Depois de lhe serem mostradas as conclusões do fórum, o Papa Francisco dirigiu-nos a palavra e sublinhou que, nos dias de hoje, os jovens ou são protagonistas ou não o são.

Para o Santo Padre, ser protagonista não é uma escolha. Não há tempo para se ser o indeciso e o que nada faz para mudar. Disse-nos também qual seria o tema da próxima Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, em 2022. Oferecemos-lhe a bandeira do nosso país e pedimos-lhe que fosse uma promessa de que ele estaria connosco em Lisboa. Ainda lhe demos um abraço, um bem apertado, para que sentisse que lhe estamos eternamente agradecidos por nos querer ouvir e nos querer dar uma voz, mas também para que sentisse que não caminha sozinho, pois os jovens de Portugal estão com ele.

No final do Fórum, partimos com a certeza de que os jovens portugueses não estão sozinhos no mundo, pois os jovens dos outros países partilham as mesmas dúvidas e as mesmas dificuldades e, acima de tudo, partilham o mesmo Amor por um Jesus Cristo que está vivo. Terminamos dizendo a todos que Deus vos ama e que, em cada momento das nossas vidas, cada um de nós é infinitamente amado por Deus. Jovens, não tenham medo de ser protagonistas da Igreja e atletas de Cristo!

(João Nuno, SDPJ Porto)