Covid-19: Papa afirma que “uma empresa que despede para se salvar não é solução”

Francisco elogia o trabalho dos profissionais de saúde no combate ao coronavírus e pediu aos patrões para não despedirem trabalhadores. Apelo do Papa numa entrevista, por videochamada, ao canal de televisão espanhol La Sexta.

O despedimento de trabalhadores “não é a solução” para salvar as empresas das dificuldades causadas a nível mundial pela pandemia do novo coronavírus, adverte o Papa Francisco, numa entrevista por videochamada ao canal de televisão espanhol La Sexta.

“Uma empresa que despede para se salvar não é a solução”, realça Francisco, dizendo que não consegue imaginar as dificuldades pelas quais vão passar os empresários, devido à paralisação da atividade comercial provocada pela propagação à escala global da Covid-19.

Questionado sobre o facto de não ser dono de uma companhia ou de uma empresa e, por isso, não saber das dificuldades que os empregadores irão passar, o Papa responde que sabe, no entanto, “das dificuldades que vão passar o empregado, o operário, a empregada ou a operária” que forem despedidos devido à acentuada quebra da atividade económica em todo o mundo.

“Mais do que despedir, há que acolher”

O Papa Francisco, que falava por videoconferência, vinca que “mais do que despedir, há que acolher e fazer sentir que há uma sociedade solidária. Estes são os grandes gestos de que precisamos agora”.

“Admiro-os, ensinam-me como me empenhar”, destaca Francisco, salientando as difíceis condições que muitos profissionais de saúde enfrentam no dia a dia, em plena pandemia do novo coronavírus, estando muitos impedidos de irem a casa durante muito tempo e havendo já várias mortes entre eles.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 333 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.700 morreram. Dos infetados, 99.014 já recuperaram da doença.

(inf: Rádio Renascença)