Gratidão – ação de graças pela vida de D. António Taipa

Missa de Ação de Graças pela vida de D. António Taipa, bispo auxiliar emérito do Porto, uma figura marcante da diocese. Gratidão pelo serviço de décadas que agora terá continuidade no múnus pastoral de D. Armando Domingues, novo bispo auxiliar do Porto.

Por Rui Saraiva

Escreveu-se “história viva” na tarde de dia 23 de dezembro na Catedral do Porto, no dizer de D. Manuel Linda. O bispo do Porto quis que o dia em que D. António Taipa, bispo auxiliar do Porto, deixa o seu serviço pastoral por limite de idade, fosse o momento solene em que, pela primeira vez, D. Armando Domingues concelebrou uma Eucaristia na Catedral dando, assim, início ao seu múnus episcopal na diocese portucalense. E isso nas palavras de D. Manuel Linda é “um presente do Menino Jesus” para dar continuidade à ação missionária de D. António Taipa.

A Missa de Ação de Graças pela vida de D. António Taipa, foi uma celebração de gratidão por tudo aquilo que o prelado fez pela diocese. Uma vida de “plena doação” – sublinhou D. Manuel Linda logo no início da Eucaristia referindo-se ao percurso de D. António Taipa vivido intensamente na formação dos seminaristas, como Reitor do Seminário Maior do Porto, no ensino da teologia, no serviço pastoral como bispo auxiliar e, recentemente, como Administrador Diocesano no difícil momento do falecimento de D. António Francisco dos Santos.

Presidiu à celebração D. António Taipa, numa Catedral repleta de bispos, sacerdotes, diáconos, religiosos, seminaristas e tantos fiéis, dos quais tiveram especial destaque os familiares e amigos de D. Armando Domingues, novo bispo auxiliar do Porto.

Na sua homilia, o agora bispo auxiliar emérito do Porto, sublinhou o caráter do “serviço apaixonante” que foi chamado a cumprir e citou o Papa Francisco tendo dito que sentiu aquilo que diz o Santo Padre: “servir é sair de si”.

“Uma grande ação de graças ao Pai Eterno” – disse D. António Taipa tendo sublinhado a sua “paixão” ao entregar-se à participação no “plano de Deus”. O bispo auxiliar do Porto assinalou o Tempo de Advento em que se celebrou esta Eucaristia como um “tempo bonito” onde se manifesta a “ternura e o carinho”.

D. António Taipa sublinhou ainda a sua paixão pelos serviços em que trabalhou, em particular, no Seminário e com todos os bispos, sacerdotes e diáconos a quem quis publicamente agradecer na sua homilia. Deu as boas-vindas a D. Armando Domingues e afirmou acolher esta sua “nova etapa” com “alegria, paz e serenidade”.

No final da celebração a diocese do Porto, pelas mãos de D. Manuel Linda, ofereceu a D. António Taipa um crucifixo numa obra do escultor Bruno Marques.

De registar as primeiras palavras de D. Armando Domingues, novo bispo auxiliar do Porto, que no final da Eucaristia recordou as palavras que lhe dirigiu D. António Taipa no final do almoço que partilharam neste domingo: “Espero que sejas tão feliz como eu fui nesta diocese do Porto”.

O novo bispo auxiliar do Porto agradeceu as palavras de D. António Taipa e disse estar seguro que com o tempo vai conseguir também dizer “minha amada diocese do Porto”.

 

D. António Taipa, bispo auxiliar emérito do Porto

D. António Taipa tem 76 anos e é natural de Freamunde, concelho de Paços de Ferreira. Foi ordenado presbítero em 1966 e bispo em 1999. É Licenciado em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana e em Sagrada Escritura pelo Pontifício Instituto Bíblico. Foi professor da Faculdade de Teologia e Reitor do Seminário Maior do Porto, tendo aí acompanhado o processo de formação de 110 padres que estão em exercício. Bispo auxiliar do Porto desde 1999, foi nomeado Administrador Diocesano do Porto em setembro de 2017 devido ao falecimento de D. António Francisco dos Santos. Trabalhou com quatro bispos: D. Armindo Lopes Coelho, D. Manuel Clemente, D. António Francisco dos Santos e D. Manuel Linda. Deixa agora o seu serviço pastoral na diocese por limite de idade.

 

D. Armando Domingues, novo bispo auxiliar do Porto

D. Armando Esteves Domingues tem 61 anos, é natural de Oleiros, no distrito de Castelo Branco. Foi ordenado bispo na Sé de Viseu no domingo, 16 de dezembro. Concluiu, em Junho de 1980, o Curso de Teologia dos Seminários no Seminário Maior de Viseu. De 1980 a 1981, fez um ano de estágio pastoral em Roma e, especificamente, frequentou estudos sobre pastoral juvenil, espiritualidade e pastoral familiar com incidência na preparação de noivos para o matrimónio. Foi ordenado presbítero em 1982, na Sé de Viseu. Foi pároco e capelão Militar na Força Aérea Portuguesa. Nas paróquias onde serviu destacou-se pela animação de projetos na área social e do ensino. Foi membro do Conselho Presbiteral, do Conselho Pastoral Diocesano e do Colégio de Consultores. É Assistente do Movimento Equipas de Casais de Nossa Senhora. De 2004 a 2015 foi Ecónomo Diocesano. Desde 2015 era Vigário Geral da Diocese de Viseu. Inicia agora serviço pastoral na diocese do Porto.