D. António Marto já é cardeal

Foto: Vatican News

O Papa Francisco entregou nesta quinta-feira, dia 28 de junho as insígnias aos novos 14 cardeais que foram nomeados no passado dia 20 de maio. D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima é um deles. Numa celebração que decorreu na Basílica de S. Pedro, o Santo Padre exortou os novos purpurados a colocarem-se “aos pés dos outros para servir”.

Por Rui Saraiva

Portugal passa, assim, a ter 4 cardeais: D. António Marto, D. José Saraiva Martins, D. Manuel Monteiro de Castro e D. Manuel Clemente. O Colégio de Cardeais passa a ter 125 eleitores (59 dos quais criados por Francisco) e 102 cardeais com mais de 80 anos, os quais não têm direito a voto num eventual Conclave para eleição de um novo Papa.

Recordamos que a propósito da nomeação de D. António Marto ao cardinalato, D. Manuel Linda, bispo do Porto, publicou uma mensagem de saudação e ação de graças sublinhando o “imenso júbilo” da diocese do Porto. O bispo do Porto recorda nessa mensagem o trabalho de 23 anos de “formador e prefeito de estudos” na Diocese do Porto desenvolvido por D. António Marto.

No dia da nomeação a Agência Ecclesia publicou o seguinte perfil biográfico de D. António Marto:

António Augusto dos Santos Marto nasceu a 5 de maio de 1947, em Tronco, concelho de Chaves; é filho de Serafim Augusto Marto e de Maria da Purificação Correia dos Santos. Passou pelos Seminários de Vila Real e do Porto, sendo ordenado padre em Roma no ano de 1971, como presbítero da Diocese de Vila Real; estudou Teologia Sistemática na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (de 1970 a 1977), onde fez o doutoramento, com a tese: “Esperança cristã e futuro do homem. Doutrina escatológica do Concílio Vaticano II”. Desde 1977 até 2000 trabalhou na formação de candidatos ao sacerdócio no Seminário Maior do Porto, como formador e prefeito de estudos. A partir de 1977 exerceu também atividade docente em diversos âmbitos. Foi professor de diversas áreas da teologia no Instituto de Ciências Humanas e Teológicas (Porto), no Centro de Cultura Católica (Porto), na Faculdade de Teologia e na Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa (Porto).

Nestas instituições académicas integrou diversas comissões, tanto ao nível científico como diretivo; foi também diretor-adjunto da mesma Faculdade de Teologia. É membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa. A 10 de novembro do ano 2000 foi nomeado bispo, por João Paulo II, tendo escolhido o seguinte lema episcopal: “Servidores da vossa alegria” (2Cor 1,24).

Foi bispo auxiliar de Braga de 2001 a 2004 e Bispo de Viseu desde então até 22 de abril de 2006, data em que recebeu a nomeação para Bispo de Leiria-Fátima, por decisão de Bento XVI; entrou nesta diocese no dia 25 de junho de 2006. Como bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto recebeu no Santuário da Cova da Iria os Papas Bento XVI (2010) e Francisco (2017).

O futuro cardeal português publicou numerosos artigos de especialização em diversas publicações periódicas, nomeadamente nas revistas “Humanística e Teologia”, “Communio” e “Theologica”. Foi delegado da Conferência Episcopal na Comissão dos Episcopados da Comunidade Europeia (COMECE) de 2011 até abril de 2017. Desde abril de 2014 é vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.